Notícias

  • Jun

    19

    2019

Para Aced, Centelha é oportunidade para startups saírem do papel

Para a Aced (Associação Comercial e Empresarial de Dourados), o Programa Centelha pode ser oportunidade para que empreendedores consigam colocar ideias inovadoras em prática. A iniciativa foi apresentada no município pela Fundect-MS (Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado do Mato Grosso do Sul), em evento com apoio da associação e do Sebrae/MS. Através do Programa Centelha, a Fundação vinculada à Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), junto com a Finep (Financiadora de Inovação e Pesquisa), trazem para o Estado o total de R$ 1,6 milhão. Será lançado um edital, em que todos poderão inscrever startups ou ideias inovadoras. Avaliadores vão selecionar 28 iniciativas que receberão R$ 60 mil cada em financiamento para desenvolver seus projetos. “É um recurso muito importante para startups que estão em estágio embrionário tirarem suas ideias do papel”, afirma João Renato Arceno do Canto, diretor de Startup da Aced. Ele contou sua experiência com inovação no evento realizado na noite desta terça-feira (18), no auditório da associação. Representantes da Aced ainda se reuniram com a diretoria-científica da Fundect-MS, Edna Scremin Dias. Eles colocaram a associação à disposição para mobilizar empresários douradenses a apresentarem suas ideias inovadoras ao Programa Centelha. Edna se surpreendeu com as ações planejadas pela associação voltadas à inovação. Ela acredita que Aced pode ser uma aliada do Centelha, que tem como objetivo fazer com que as startups se consolidem como empresas e seus produtos sejam colocados para o Estado e para o país. “A ideia é desenvolver a visão empreendedora dos jovens, dos empresários, dos acadêmicos para que eles vejam que podem fazer um trabalho de mudar mesmo os problemas que a sociedade tem, que a empresa tem, gerando novos produtos e colocando no mercado à disposição para todos”, afirma a diretora-científica. O Programa é realizado em 21 estados brasileiros.