Notícias

  • Mai

    31

    2021

MANIFESTO da ACED

A Associação Comercial e Empresarial de Dourados através de Diretores e associados pela sua índole laborial,  empreendedora e ordeira, manifesta-se entristecida, enfraquecida e perplexa com o Decreto Municipal nos impondo longos 14 dias de angústia  e improdutividade.

Estamos entristecidos pelas perdas de entes queridos e solidários ao sofrimento da dor pelas almas que nos deixaram o convívio terrestre e também aos que se encontram internados ou se recuperando do desconforto causado pela adversidade imposta nestes instantes de pandemia.

Estamos enfraquecidos pela imposição de um Decreto que nos inibe de exercermos o mais sagrado direito de liberdade, de labor para o sustento de nossas famílias, de  dignidade moral e social, inerentes de uma nação democrática, produtiva e submissa aos desígnios cristãos.

Estamos perplexos pela incoerência entre os governos que disputam o poder impondo ignorância, vaidade e jogo-de-braço sem embasamento técnico, científico e consensual para o enfrentamento da crise, ora sugerindo  tratamentos com variadas opções e colocando dúvidas na eficácia dos procedimentos, a bem da sustentação de vis interesses.

A ACED, por ser uma entidade pluralista em seu corpo associativo e diretivo, não concorda "in totum"  com a determinação decretada pelo Sr. Prefeito Alan Guedes, por entender que a responsabilidade de manter a integridade física e sanitária é individual e respeitar as normas sugeridas nos conceitos de biossegurança é obrigação coletiva, vem se empenhando desde o início com campanhas de orientação, angariando materiais e colaborando com o Comitê de Enfrentamento da Crise, para tornar inalienável a preservação da saúde e bem estar social.

Portanto, por entender que Decreto é uma proximidade da lei, acatará a determinação, reiterando que essencial é o direito de ir e vir, trabalho e responsabilidade individual, mas com a firme convicção de que a esperança e a crença seja o retorno mais breve possível da harmonia, da paz e saúde entre nós.

DEUS nos ajude!