Notícias

  • Mai

    01

    2020

Empresários que apostarem em canais virtuais terão mais vendas neste Dia das Mães

Os empresários que se adaptarem e buscarem estar presentes em canais virtuais terão mais chances de garantir vendas neste Dia das Mães, data mais importante para o comércio. É o que aponta a pesquisa de intenção de consumo divulgada pelo Sebrae/MS e o Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio/MS (IPF-MS).

Conforme o levantamento, a maioria dos consumidores quer adquirir o presente das mães em lojas físicas, mas à distância por meio de canais virtuais (56%). O comportamento está relacionado à pandemia do novo coronavírus, que exige menor aglomeração nas ruas para reduzir a transmissão da Covid-19.

Além disso, 11% dos filhos irão comprar o presente pela internet e vão entregar pessoalmente, já para 10%, a lembrança será comprada online e entregue na casa da mãe, 10% comprarão à distância de uma loja física e mandarão entregar, 9% farão o presente e entregarão pessoalmente e 4% farão o presente e mandarão entregar na casa da mãe.  

"Parte dos consumidores já teve uma percepção de redução na renda, por isso, têm sido mais cautelosos em gastos não essenciais. Percebemos uma forte tendência para a realização de compra de lojas físicas, mas através de canais virtuais, tanto na escolha dos produtos, quanto na realização da entrega", afirma a analista do Sebrae/MS, Vanessa Schmidt.

No momento da compra, os filhos irão levar em consideração descontos e promoções (52%), adoção pela empresa de medidas de proteção para evitar a proliferação do coronavírus (18%), variedade (11%), entrega em casa (9%) e a loja ser do próprio bairro (4%). Entre os presentes, a primeira opção é por perfumes e cosméticos; em segundo, roupas; seguido por bolsas e acessórios e calçados.

Para se preparar ao cenário desafiador, a analista acredita que os empresários devem ter atenção com a divulgação dos produtos e serviços, "com foco na venda para a data e que a comunicação com o consumidor seja facilitada, rápida e eficiente por todos os canais virtuais da empresa, bem como a possibilidade da troca do produto caso necessário".

Segundo o levantamento, 73% dos pesquisados vão manter as medidas restritivas nas comemorações, 6% irão a restaurantes e 2% farão algum passeio especial, já 19% afirmaram que vão ser reunir com demais membros da família.

Intenção de Consumo

O levantamento, realizado entre os dias 6 a 27 de abril, apontou que o período da quarentena teve efeitos negativos para o comércio. A estimativa é que o Dia das Mães movimente R$ 93,41 milhões de reais, 44% a menos do que o ano passado. Além disso, os gastos com presentes ficarão em R$ 63,55 milhões e as comemorações em R$ 29,87 milhões, representando uma queda de 42% e 46%, respectivamente, em relação a 2019.

Segundo a economista do IPF-MS, Daniela Dias, a pesquisa também aponta queda na renda. "Um número significativo dos entrevistados, 48%, disseram que a renda caiu nesse período. E tem, ainda,18% que afirmam precisar de auxílio emergencial. Esses indicadores mostram o porquê vamos ter um movimento mais fraco que em 2019".

A pesquisa ouviu, por telefone, 1.717 consumidores de Campo Grande, Dourados, Corumbá, Ladário, Bonito, Coxim, Três Lagoas e Ponta Porã.