Notícias

  • Mai

    02

    2022

Dia das Mães movimenta mais de R$34 milhões no comercio local

Pesquisa de intenção de compras do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio-MS (IPF/MS) e Sebrae MS aponta que neste ano o Dia das Mães deve movimentar em todo o estado R$ 341,10 milhões, um montante 60% maior que no ano passado. Entre presentes e comemorações, o gasto médio apurado é de R$ 340,42.

Em Dourados, deve ser injetado no comércio um total de R$34.035.921 milhões em decorrência da data. 74,20% dos entrevistados irão às compras e pretendem gastar um valor médio de R$161,53, totalizando R$14.140.402 milhões em presentes. Já 87,90% disseram que vão comemorar a ocasião com gasto médio de R$191,85, totalizando R$19.895.522 milhões em comemorações.

Em comparação ao ano de 2021, houve este ano em Dourados um aumento de significativo de R$4.410.991 milhões no investimento em presentes e R$9.458.447 milhões em comemoração.  

“O comerciante precisa ficar atento à tendência de pagamento à vista mediante descontos, preferência de 62% dos entrevistados e também levar em conta em suas estratégias que o bom atendimento, condições de parcelamento e variedade são itens importantes para a decisão de compra”, orienta o presidente do IPF-MS, Edison Araújo.

A economista do IPF-MS, Regiane Dedé de Oliveira, ressalta, ainda, que a data deve proporcionar um movimento importante em supermercados, considerando que 83,5% dos entrevistados que irão comemorar informam que vão comprar ingredientes para o preparo da refeição em casa.

“A gente percebe este ano um cenário mais positivo, um início de recuperação da economia, com a pandemia afetando menos os setores comerciais. A pesquisa mostra que as pessoas pretendem comemorar em casa, presenteando suas mães presencialmente, o que não foi possível nos últimos anos, em razão da pandemia, e isso volta com mais força este ano”, explica a analista técnica do Sebrae MS, Vanessa Schmidt.

Sobre a parcela que informou que não irá presentear na data, os principais motivos são o falecimento da mãe e questões financeiras.

 

Fonte: Fecomércio